História do MOVE em São Miguel, Açores

“Chegou a hora de olhar para dentro, chegou a hora de ter impacto em Portugal!”

Foi com este impulso que dois voluntários MOVE partiram em Agosto de 2017 para São Miguel. Tinham como objetivo desenhar o MOVE em São Miguel, sonhavam com um projecto de São Miguel para São Miguel. 

Partiram pelos bairros e lugares mais conhecidos até desvendarem as diferentes cidades e vilas Micaelenses. Procuraram as pessoas e os afazares tradicionais; conferenciaram-nos que esta vida, este calor das vidas e famílias que encontraram, era ainda maior que o que chegava dos turísticos lagos vulcânicos. Um mês e meio depois o MOVE Açores estava pronto a arrancar.

Terrenos

São Miguel é a maior das nove ilhas que constituem o Arquipélago dos Açores. Conhecida pelas suas lagoas vulcânicas e águas quentes, lugar verde, onde a agropecuária e a pesca se revelam das principais fontes de geração de riqueza e de ocupação da população da região. A natureza, a sua natureza tão própria e impetuosa, faz da ilha um lugar paradisíaco no Atlântico plantado; ela é a inspiração de um povo com disponibilidade, capacidades e talentos peculiares. É o palco do mais recente trabalho do MOVE.

Com a enorme ambição de chegar da forma mais eficiente e eficaz à comunidade, o MOVE redesenhou-se para a Ilha de São Miguel. Aqui e a partir de janeiro de 2018 os fellows MOVE terão como missão os projetos abaixo detalhados.

O MOVE segue com força, agora em Português de Portugal.

Projetos nos Açores

  • Porta a Porta

    Porta a Porta

    Com atuação em Água de Pau, Fenais da Luz e Rabo de Peixe. Porta a porta, recorrendo à formação por meios informais, promovendo modelos empreendedores de resolução de problemas, fortalecendo os talentos e ajudando a encontrar alternativas aos rendimentos familiares. Projecto apoiado pelas escolas e instituições locais.
  • Clube de Empreendedorismo

    Clube de Empreendedorismo

    De abrangência regional. Formação e incubação de ideias e negócios com vista ao desenvolvimento regional. Procuram-se projectos apoiados em recursos locais desenvolvidos por locais. Aqui afluirão todos os parceiros MOVE no apoio e incentivo ao desenvolvimento com sucesso destes projectos.
  • Açoriano Participativo

    Açoriano Participativo

    Com foco na Universidade de Ponta Delgada. Apoio ao desenvolvimento de estudos sobre gestão e empreendedorimo. Captação e empoderamento de jovens universitários para que, também estes, se tornem agentes no desenvolvimento de São Miguel.

História do MOVE em São Tomé e Príncipe

Foi em 2011 que o MOVE chegou à ilha do vadô-panha (peixe voador), da banana e do verde mais verde que existe. Em poucos dias estávamos já abraçados pelo povo com o sorriso mais acolhedor que conhecemos. “Mãos à obra São Tomé!”.

São Tomé e Príncipe

País de uma riqueza natural sem igual, povo que sempre encontra alternativas, que sempre cria soluções. “A terra dá” – dizem com graça. A terra dá e o MOVE ensina a receber. Tão importante que é saber receber em São Tomé.

Apostamos na criação de sinergias com outras ONG’s, fomentando a multiplicação do nosso trabalho. Fortalecemos e acompanhamos de forma independente, como se de projectos nossos se tratassem, pequenos empreendedores com altivos objectivos com vista ao desenvolvimento da sua ilha. Damos formação, em moldes formais e informais, a jovens e adultos: a todos os que chegarem para aprender.

Dizem-nos “leve-leve professô”. O “leve-leve” tanto pode servir para pedir a um motoqueiro para ir mais devagar, como para explicar que um trabalho está a ser feito com calma e ponderação. O “leve-leve” é a frase na “ponta da língua” de todos, representa a calma das relações, dos dias, dos projectos… É no leve-leve da ilha que seguimos, sem nunca permitir que este nos amoleça os objectivos e motivações. Bomu Kêlê! (trad: Vamos conseguir! Vamos acreditar!

  • Elagric

    Elagric

    O Waly é o gerente da firma Elagric e um dos transformadores mais experientes de São Tomé e Príncipe no que diz respeito à transformação de produtos locais, nomeadamente do côco, da banana, do amendoim e do cacau. A sua unidade de produção é reconhecida a nível nacional pela qualidade dos produtos que oferece, pelo seu sabor, consistência e criatividade. A colaboração entre o MOVE e o Waly começou em 2015 e, desde aí, o MOVE não só tem vindo a fazer um acompanhamento de gestão semanal, importante para garantir um crescimento financeiro e comercial sustentável do negócio, como também conseguiu ajudar o Waly a receber financiamento para comprar maquinaria após um concurso de um fundo internacional.
  • Trabalhadoras do Sexo

    Trabalhadoras do Sexo

    O projeto para reforçar a resposta de STP à epidemia de HIV teve início em junho de 2013, tendo como objetivo formar e apoiar as “trabalhadoras do sexo (TSs)” e jovens com comportamentos de risco. Este projeto é também liderado pela ONG Alisei, sendo que as beneficiárias selecionadas receberam formação técnica (costura ou salão de beleza), formação em gestão de pequenos negócios, materiais e financiamento necessário para darem início à sua atividade. De momento recebem o apoio contínuo do MOVE no âmbito de inserção profissional e social.
  • Associação de Mulheres Vista Alegre

    Associação de Mulheres Vista Alegre

    Vista Alegre dá o nome a uma roça no distrito de Mé-Zochi, mas também à associação de mulheres que nela trabalham. Criada pela Santa Casa da Misericórdia, este grupo de mulheres dedica-se à transformação de produtos locais, como a banana seca em secador solar, compotas, farinhas e caixas e bonecas de folha de banana. Atualmente, o MOVE acompanha estas mulheres de forma independente, com o objetivo de ajudar o negócio a prosperar e crescer.
  • Startup STP

    Start Up

    A StartUp STP é a primeira grande incubadora de empresas em São Tomé e Príncipe. A sua principal finalidade é apoiar o desenvolvimento e implementação de ideias com potencial de negócio e criar valor para o país, através da capacitação empresarial, orientação e acompanhamento de gestão das ideias de negócio dos empreendedores inscritos. O MOVE criou este projeto onde nos compete fazer toda a operacionalização da incubadora, sendo o papel principal a formação e capacitação dos empreendedores para a implementação das suas ideias de negócio. Actualmente a StartUp está a incubar vários projectos distintos que vão desde a dinamização cultural da ilha à comercialização de carros em 2ª Mão em São Tomé.
  • Clube de empreendedorismo

    Clube de Empreendedorismo Liceu

    O Clube de Empreendedorismo consiste numa atividade extracurricular que tem por objetivo o desenvolvimento de competências no âmbito do empreendedorismo, de modo a fornecer ferramentas nesta área, aplicáveis na vida futura dos alunos. O clube procura ensinar de forma muito prática aos alunos conceitos base de gestão que permitam desenvolver competências no âmbito do empreendedorismo, geração de ideias e criação de negócios.
  • Qua Tela

    Qua Tela

    A ONG Quatela é uma associação criada com o objetivo de apoiar transformadores locais. Um desses apoios surge com a abertura da loja Qua Tela que se apresenta como um dos melhores pontos de distribuição para os transformadores, apresentando percentagens bastante significativas das suas vendas. A colaboração entre o MOVE e a ONG Qua Tela teve início em 2013. A colaboração entre as duas ONG’s consiste na participação do MOVE em alguns projetos com papel central na formação em Gestão de Pequenos Negócios aos transformadores. Para além disso, o MOVE participa ativamente na gestão financeira, logística e comercial da loja.
  • Salutar

    Salutar

    Resultante de um projeto financiado pela União Europeia ao consórcio Marapa/Alisei (duas grandes ONGs em São Tomé e Príncipe), a reconstrução do complexo turístico Jalé Ecolodge engloba três bungalows, uma unidade de restauração e ainda uma pequena estrutura para a proteção de tartarugas. O MOVE foi contactado em 2014 para auxiliar o gestor, o Cabo-verdiano “Nei”, na concepção da exploração restaurante. Hoje em dia, após implementação do Plano de Negócios elaborado em conjunto, o MOVE tem o papel de conselheiro estratégico do “Nei”.
  • Firma Efraim

    Firma Efraim

    A Firma Efraim, fundada em 2002 , constituiu a primeira iniciativa privada autónoma e com expressão de exploração de café 100% biológico. A Firma Efraim, gerida pelo empreendedor Catoninho, tem-se afirmado como um micro empreendimento com ambição e posicionamento próprio junto do mercado e comunidade. Desde então que a Firma Efraim tem vindo a crescer de forma sustentada, centrando actualmente as suas operações em quatro segmentos de negócio, incluindo produção de café, produção de cacau, restauração e recentemente alojamento com a abertura de uma guesthouse de pequena dimensão. O facto de a Firma se situar numa das roças mais bonitas da ilha, e pelo facto de aliar a possibilidade de ter uma refeição típica santomense, com toda a explicação do processo produtivo do café e do cacau, constitui uma grande mais-valia e uma boa vantagem competitiva no mercado. O Move tem acompanhado este projeto desde 2013, tendo um papel fulcral na definição do rumo estratégico da empresa, na diversificação das áreas de negócio e no acompanhamento e controlo financeiro da empresa.
  • Artesanato de Vidro

    Artesanato de Vidro

    Com o objetivo de transformar vidro reciclado em peças de artesanato e bijutaria, este projeto pretende promover, na cultura santomense, a necessidade de reaproveitamento dos resíduos existentes no país. Numa fase inicial, dois artesãos viajaram até ao Gana, por forma a adquirir todos os conhecimentos inerentes a esta técnica. Atualmente, três artesãos estão encarregues da produção e montagem das peças, no espaço do Centro de Processamento de Resíduos de São Tomé. Em parceria com a Cooperação Portuguesa e a Santa Casa da Misericórdia de São Tomé, o trabalho do MOVE passa por garantir a implementação sustentável do projeto bem como a gestão operacional do mesmo tendo em vista o seu crescimento e potencialização.
  • Apoio a Transformadores

    Apoio a Transformadores

    No âmbito do antigo Projecto de Capacitação de Transformadores em São Tomé, o Move começou o apoio e acompanhamento a 4 transformadores de produtos locais como banana, fruta-pão e matabala. Após o projeto ter terminado em fevereiro de 2016, o MOVE sentiu a necessidade de continuar a acompanhar estes transformadores de forma a garantir uma implementação sólida de todo o trabalho anteriormente desenvolvido. Neste momento a família de transformadores cresceu e atualmente acompanhamos vários negócios de empreendedores que se dedicam à transformação de diversos produtos locais, criando novos produtos de valor acrescentado, que com a ajuda do MOVE conseguem desenvolver os seus negócios de forma sustentável e diferenciadora.
  • Hi!Lab

    Hi!Lab

    O Hi!-Lab é um projeto social no qual se pressupõe a criação de um conjunto de formações abrangendo diversos módulos a serem leccionados bem como a transformação e consequente comercialização de produtos que possam surgir no desenrolar das formações. O projeto tem como principal objetivo melhorar as condições de vida dos formandos incluídos no projeto, promovendo a reinserção social e o desenvolvimento pessoal. Neste momento, o MOVE é inteiramente responsável pela gestão do projeto, tendo uma equipa em São Tomé e outra em Portugal a dar ao projeto todo o acompanhamento necessário.
  • Snorkeling São Tomé e Príncipe

    Snorkeling São Tomé e Príncipe

    A empresa Snorkeling STP foi fundada em 2017 pelo empreendedor Kener Roldão, tendo pedido ajuda ao MOVE para acompanhar o projeto uma vez que este ainda se encontra numa fase muito inicial. Este serviço permite a exploração da biodiversidade submarina de São Tomé em diferentes zonas da ilha, proporcionando uma experiência única aos seus clientes. O Snorkeling STP tem um enorme potencial de crescimento uma vez que existem muitos turistas a procurarem este tipo de serviço e existe pouca oferta para responder a esta necessidade. O MOVE procura garantir o crescimento financeiro do negócio, através da formulação e implementação da estratégia da empresa.
  • Parceria com os Leigos para o Desenvolvimento

    Parceria com os Leigos para o Desenvolvimento

    O MOVE e o Grupo “Leigos para o Desenvolvimento” celebram entre si uma parceria onde está estipulado o apoio do MOVE a alguns empreendedores em Boa Morte, localidade perto de São Tomé. Para além disso, com o objetivo de apoiar pequenos negócios, os voluntários MOVE dão formações aos pequenos empreendedores. Mais recentemente, as formações foram alargadas a outras zonas da ilha, nomeadamente no sul, em comunidades mais pobres e carenciadas de conhecimento.
  • Bô Energia

    Bô Energia

    O protejo Bô Energia surgiu da necessidade de dar resposta aos problemas ambientais que afectam São Tomé e Príncipe. Cerca de mil milhões de pessoas utiliza a lenha e o carvão para cozinhar diariamente, o que leva à desflorestação e perda de 3% das florestas mundiais por ano. Paralelamente, a serradura foi identificada como sendo um dos grandes resíduos produzidos em São Tomé e Príncipe. Por isso, a grande percentagem de desperdício de serradura torna viável a sua utilização na construção de briquetes de biomassa como alternativa à utilização de carvão. Nesse sentido, o projecto Bô Energia pretende sensibilizar e capacitar a população local para o aproveitamento energético das energias renováveis, através da utilização de briquetes de serradura como alternativa à utilização de carvão vegetal e da lenha, e o MOVE tem como objetivo viabilizar e tornar sustentável o negócio dos briquetes, tornando-o benéfico para a comunidade santomense.

História do MOVE em Timor-Leste

Em 2011, duas raparigas aterraram no mais “jovem” país asiático com uma grande missão: Começar a atividade do MOVE na terra dos lafaeks (crocodilos) e do lorosae (sol nascente), Timor-Leste.

Terrenos

Timor Leste, sendo um dos países mais pobres da Ásia e apoiado maioritariamente na importação, é o local ideal para ajudarmos no combate à pobreza através do empreendedorismo. Numa terra muito marcada pela guerra e pelo estilo de vida de sobrevivência a que foi sujeita, torna-se muito importante estimular o empreendedorismo como caminho para o desenvolvimento do país. A presença das Nações Unidas e a proximidade de países como a Austrália, Nova Zelândia e Indonésia, fazem com que grandes empresas e ONGs com grande capacidade financeira tenham uma presença muito maior no país.

No sentido de chegar à comunidade timorense, objectivo fundamental do MOVE, a actividade em Timor baseia-se em 2 eixos principais: formação e consultoria (diretamente com os empreendedores ou através de parcerias).

Ao longo do tempo, os fellows, têm feito um grande esforço para conseguirem mais oportunidades de trabalhar com empreendedores locais directamente, esforço esse que têm dado muito bons frutos.

Em Timor todos nos perguntam ba ne’ebé? (expressão na língua Tétum que significa “onde vais?”) como forma de cumprimento sem que lhes interesse a resposta, mas a nós interessa-nos muito saber onde este país vai chegar pois sabemos que pode ir longe.

Projetos em Timor-Leste

  • Universidade Nacional de Timor-Lorosae (UNTL)

    Universidade Nacional de Timor-Lorosae (UNTL)

    A parceria com a UNTL foi um dos primeiros projetos que o MOVE abraçou em Timor-Leste, tendo sido estabelecida pela primeira edição e tornada efetiva pela segunda. Desde então, a parceria tem-se mantido, com todas as edições a lecionarem o módulo de Gestão e Empreendedorismo na universidade. Neste momento são lecionados 2 módulos creditados (Inicial e Avançado) que pertencem ao programa curricular das cadeiras do curso de Economia e do curso de Gestão da universidade. Acreditamos que desta forma estamos a ajudar a formar mais e melhores empreendedores junto daqueles são o futuro de Timor. É com muito prazer que acompanhamos a evolução dos nossos alunos entre as várias edições e vemos que, de facto, se vão tornando em jovens adultos com capacidade para serem bem-sucedidos e abrirem os seus próprios negócios, tornando-se hoje os empreendedores de amanhã.
  • Centro Nacional de Emprego e Formação Profissional (CNEFP)

    Centro Nacional de Emprego e Formação Profissional (CNEFP)

    O Centro de Tíbar está localizado no distrito de Liquiçá. O contacto com o CNEFP foi estabelecido pela 2ª edição do MOVE em terras timorenses, em 2012. Desde o início que o MOVE garantiu o ensino do Módulo de Registos Financeiros aos estudantes do centro. Para além deste módulo o MOVE deu formação nas áreas de Segurança e Eficiência, Matemática e Boas Práticas no Trabalho, tendo prestado também alguns serviços de consultoria para a gestão e dinamização do centro. Mais recentemente, o MOVE integra também uma equipa que tem como objetivo desenvolver o projeto MEDI (Micro-Enterprise Development Incubator) dentro do centro de formação.
  • Empreza Diak

    Empreza Diak

    A EmprezaDiak é uma ONG local cuja missão é caminhar no sentido de quebrar barreiras de mercado, apoiando micro negócios e tornando-os sustentáveis a gerarem rendimentos, criando um impacto social positivo na comunidade timorense e combatendo a pobreza. Desde 2014 que o MOVE coopera com a EmprezaDiak, prestando serviços de consultoria e advising. Acreditamos que esta saudável parceria tem conseguido um impacto muito positivo nas comunidades timorenses. O MOVE tem tido um papel importante no desenvolvimento de Planos de Negócios, na logística e na comercialização de produtos como cocos, patos, composto orgânico, algas, palhinhas de bambú, entre outros.
  • Clube de Empreendedorismo

    Clube de Empreendedorismo

    Recentemente, o MOVE tem desenvolvido um Clube de Empreendedorismo para jovens universitários, com o objetivo de promover uma visão mais prática e real do processo dinâmico de implementar novos negócios ou ideias. Pretendemos tornar o clube numa verdadeira incubadora universitária e, simultaneamente, numa ferramenta que os prepara para o mundo do trabalho através do contacto com realidades próximas tais como testemunhos de empreendedores locais. Para este projecto contamos com o apoio da UNTL e da Cooperação Portuguesa, sendo o nosso objectivo tornar o Clube de Empreendedorismo numa referência em Timor na preparação de jovens empreendedores e no lançamento de negócios inovadores.
  • Figus Sol Nascente

    Figus Sol Nascente

    Concorrer com a sua ideia de negócio ao Concurso do IADE (Instituto de Apoio ao Desenvolvimento Empresarial) foi a primeiro momento de vitória para o Sr. Hugo. Com a ideia de produzir figos e criar produtos de valor acrescentado, como chás, vinho, figo seco, temperos e compota, o Sr. Hugo criou a marca “Figus Sol Nascente”. O seu esforço e empenho leva-nos a querer fazer desta marca uma referência em Timor-Leste e é com muito orgulho que o ajudamos a orientar a sua estratégia de negócio, promover os seus produtos e procurar novas oportunidades. Hoje, conta com vários prémios pelo trabalho desenvolvido, não só a nível empresarial, mas também social, pelas oportunidades que cria para os jovens de Timor-Leste, oferecendo estágios e facilitando a sua formação. A função do MOVE com este projeto centra-se essencialmente em apoiar a gestão do negócio, a redação de propostas a entidades públicas, o planeamento estratégico e de marketing, bem como na formação e capacitação dos seus funcionários em ferramentas de apoio logístico e financeiro.
  • Boneca de Ataúro

    Boneca de Ataúro

    A Cooperativa Polivalente Boneca de Ataúro, formada por 42 mulheres, começou em 2007 com o desejo de criar um local onde as mulheres podem encontrar o seu espaço, a sua dignidade e a sua independência económica. A cooperativa é um lugar para mulheres de qualquer idade: as mulheres mais velhas trazem prudência, experiência, paciência; as mais jovens trazem alegria e vontade de futuro. A ação da Boneca através destas mulheres sustenta direta e aproximadamente 200 pessoas. A sua atividade baseia-se na produção de jogos didáticos, bonecas de trapo e carteiras, onde todos estes produtos têm um design singular. Recentemente abriram uma loja em Dili onde vendem os produtos fabricados em Ataúro. O MOVE está a ajudar esta Cooperativa a crescer de forma sustentável desde 2016, apoiando-se em dois pilares: consultoria e formação. Até ao momento este trabalho tem sido feito através da criação e análise de uma estrutura de custos de produção, da digitalização do sistema de contabilidade da cooperativa (permitindo a anáise e assim um planeamento estratégico) e de formação na área financeira.
  • naTerra

    naTerra

    O naTerra é uma associação de Educação para o Desenvolvimento Sustentável e surge da vontade de criar soluções ecológicas, com uma visão economicamente praticável e socialmente responsável. Esta associação pretende criar espaços que potenciem a natureza e consideram fulcral sensibilizar a comunidade local para um estilo de vida mais saudável e mais sustentável. O “naTerra” apoia uma quinta de permacultura localizada no distrito de Baucau, em total sintonia com a natureza e com as comunidades locais, onde o desperdício de produção é praticamente nulo baseando-se num processo orientado para o aproveitamento de recursos. Para além da produção agrícola, o “naTerra” realiza também acções de formação na área da agricultura e do desenvolvimento sustentável. O apoio do MOVE ao naTerra tem-se baseado na inserção dos diversos produtos tais como sementes, árvores, compotas, chás, licores, pó de moringa, entre outros no mercado (packaging, promoção e pricing).
  • Instituto de Apoio ao Desenvolvimento Empresarial (IADE)

    Instituto de Apoio ao Desenvolvimento Empresarial (IADE)

    O IADE é um instituto governamental que tem como objetivo apoiar empresas que requisitem a sua ajuda, no qual este apoio é feito através de ajuda financeira e de formação. A parceria com o IADE começou no início de 2015 e desde então o MOVE tem prestado auxílio em várias vertentes: organização e dinamização interna, aconselhamento e apoio direto a empreendedores que recorrem ao IADE para a criação e/ou desenvolvimento dos seus pequenos negócios. O IADE apoia negócios de diversos sectores que vão desde o agrícola ao do têxtil. Até ao momento o IADE tem tido um importante papel no sentido de dar a conhecer aos voluntários MOVE empreendedores com vontade de desenvolver Timor Leste.
  • Projecto Futuro - Estágios

    Projecto Futuro - Estágios

    No desenvolvimento das nossas atividades de formação de jovens empreendedores, nomeadamente no que respeita aos jovens da Universidade Nacional de Timor Lorosa’e, reparámos que havia algo em falta. Queremos criar futuros líderes, no entanto não os queremos lançar do nada para essa realidade! Por essas razões e pela ameaça constante do desemprego jovem em Timor, começámos a desenvolver um Programa de Estágios para eles, dando possibilidade aos nossos alunos da UNTL de se inserirem num programa onde, após conclusão do curso, serão alocados em diferentes organizações e, assim, ter uma primeira experiência no mercado de trabalho. Neste momento, estes alunos estão a ser alocados em ONGs locais para o desenvolvimento e deve-se ao MOVE a coordenação, avaliação e organização destes estágios.
  • Kantina do Edgar

    Kantina do Edgar

    O nosso ex-aluno Edgar (UNTL) encontrou uma oportunidade face à ausência de um local, nas instalações na Universidade, que fosse capaz de fornecer algum tipo de alimentação aos alunos (os quais eram obrigados a perder tempo e dinheiro em refeições fora da faculdade). Existindo espaços não utilizados no interior da faculdade, e resultando da vontade deste nosso ex-aluno, o Edgar começou a desenvolver a sua ideia e, assim, criou uma “Kantina” no campus da sua própria universidade, onde se dedica todos os dias a providenciar não só uma alimentação nutritiva, mas, também, um espaço de estudo, convívio e diversão! Hoje, conta com a ajuda do MOVE para organizar e dinamizar cada vez mais este espaço!
  • Revista OTAS

    Revista OTAS

    A revista OTAS é um projeto que começou numa loja de estampagens por um grupo de amigos, muito ligados ao mundo das artes, que identificou a necessidade de informação sobre arte, cultura e turismo em Timor-Leste. Este grupo decidiu reunir conteúdos sobre estes temas e distribui-los através de uma revista. Apesar de os dinamizadores desta revista se revelarem exemplarmente empenhados e criativos, a revista OTAS precisa de se tornar financeiramente sustentável e um negócio estruturado. Por causa disso mesmo, este grupo conta, hoje, com a ajuda do MOVE para atingir esse objetivo e, assim, arranjar mais uma maneira de disseminar cultura pelo povo Maubere!