História do MOVE em São Tomé e Príncipe

A 1ª edição do MOVE chegou à ilha em 2011 e dividiu o trabalho no terreno em quatro áreas principais: microcrédito, formações, consultoria e procura de parceiros. Até à 5ª edição, o principal foco do MOVE estava no microcrédito e na prestação de auxílio aos empreendedores para abrirem os seus próprios negócios.

São Tomé e Príncipe

No entanto, devido ao incumprimento da maioria dos empreendedores e da incapacidade de gestão financeira, a partir da 6ª edição, o MOVE redefiniu o seu rumo estratégico através de uma aposta em parcerias-chave com grandes ONGs, tais como Tese, Alisei, Cruz Vermelha e Marapa, e criação de projetos próprios. A 6ª e a 7ª edição deram início a esta mudança e abandonou-se por completo o microcrédito.

Desde a 8ª edição até hoje, acreditamos que fizemos a escolha certa! Continuamos a apostar em trabalho conjunto com outras ONGs bem como temos criado cada vez mais projetos nossos e os temos mantendo de forma independente – por exemplo, fundámos a StartUp STP (a primeira grande incubadora de empresas de São Tomé), retomámos o projeto Hi-Social (um projeto de carácter social que junta tecnologia a artesanato local) em parceria com a Torke+CC e já o estamos a gerir sozinhos, e criámos o Clube de Empreendedorismo no Liceu Nacional (um clube com o objectivo de proMOVEr a participação dos alunos em actividades extra-curriculares não relacionadas directamente com as aulas mas sim com as suas soft skills e conhecimentos importantes na sua formação pessoal/profissional).

Os santomenses usam frequentemente uma expressão que simboliza o seu modo de estar na vida: “leve-leve”. O “leve-leve” tanto pode servir para pedir a uma motoqueiro para ir mais devagar, como para explicar que um trabalho está a ser feito com calma e ponderação. Pode representar mil e uma coisas mas no fundo, o objectivo da mensagem é o mesmo – calmo, devagar e sem pressas.

O “leve-leve” acaba por ser a imagem deste país. Representa uma calma a que facilmente nos habituamos mas temos de conseguir contrariar para sermos capazes ter o impacto que tanto esperamos quando embarcamos nesta aventura!

Projetos em São Tomé e Príncipe

  • Elagric

    Elagric

    O Waly é o gerente da firma Elagric e um dos transformadores mais experientes de São Tomé e Príncipe no que diz respeito à transformação de produtos locais, nomeadamente do côco, da banana, do amendoim e do cacau. A sua unidade de produção é reconhecida a nível nacional pela qualidade dos produtos que oferece, pelo seu sabor, consistência e criatividade. A colaboração entre o MOVE e o Waly começou em 2015 e, desde aí, o MOVE não só tem vindo a fazer um acompanhamento de gestão semanal, importante para garantir um crescimento financeiro e comercial sustentável do negócio, como também conseguiu ajudar o Waly a receber financiamento para comprar maquinaria após um concurso de um fundo internacional.
  • Projeto Boa Morte

    Projeto Boa Morte

    O Grupo “Leigos para o Desenvolvimento” propôs ao MOVE uma parceria num projeto que desenvolve em Boa Morte, uma localidade perto da cidade de São Tomé, com o objetivo de apoiar pequenos negócios. Os voluntários MOVE foram convidados a dar formações aos pequenos empreendedores. A parceria correu bem e, mais recentemente, as formações foram alargadas a outras zonas da ilha, nomeadamente no sul, em comunidades mais pobres e carenciadas de conhecimento.
  • Hi Social

    Hi Social

    O Hi-Social é um projeto social no qual se pressupõe a transformação e consequente comercialização de produtos tecnológicos aos quais é adicionada uma componente artesanal. O projeto tem como principal objetivo melhorar as condições de vida dos artesãos incluídos no projeto, proMOVEndo o emprego e aumentando o seu rendimento. Na cadeia central estão a ser desenvolvidas formações em marcenaria não apenas com o objetivo de proMOVEr o emprego, mas também com a componente de inclusão social. Neste momento, o trabalho do MOVE vai para além da gestão operacional do projeto no terreno. De modo a conseguirmos ter mais impacto, ficou acordado o MOVE ficar inteiramente responsável pela gestão do projeto. Foi assim criada uma equipa em Lisboa, para dar ao projeto o acompanhamento que ele necessita. Neste momento, o único produto comercializado são pen drives, produzidas artesanalmente em madeira, coco e chifre de boi.
  • Trabalhadoras do Sexo

    Trabalhadoras do Sexo

    O projeto para reforçar a resposta de STP à epidemia do HIV teve início em Junho de 2013, tendo como objetivos formar e apoiar as “trabalhadoras do sexo (TSs)” e jovens com comportamentos de risco. Este projeto é também liderado pela ONG Alisei, sendo que as beneficiárias selecionadas recebem formação técnica (costura, pastelaria ou salão de beleza), materiais e financiamento para darem início à sua actividade, bem como formação em gestão de pequenos negócios e apoio para a implementação da sua actividade por parte do MOVE.
  • Associação das Mulheres de Vista Alegre

    Associação das Mulheres de Vista Alegre

    Vista Alegre é o nome de uma roça localizada no distrito de Mé-Zóchi mas também de uma associação de mulheres residentes na roça, criada pela Santa Casa da Misericórdia. Este grupo de senhoras dedica-se à transformação de produtos locais, nomeadamente banana seca em secador solar, compotas e bonecas de folha de bananeira. – Atualmente, o MOVE trabalha de forma independente neste projeto, cujo principal objectivo é o acompanhamento do negócio com vista ao crescimento e potencialização das capacidades das cerca de sete associadas.
  • Pipaga

    Pipaga

    O projeto de Capacitação de Transformadores em São Tomé encontra-se inserido no projeto PIPAGA, sendo que o principal objetivo deste começou pelo apoio à transformação de produtos tais como fruta-pão, banana-pão e matabala. Implementado pela ONG Alisei, o papel do MOVE no projeto é acompanhar os transformados identificados ao nível da gestão dos seus negócios. Apesar do projeto PIPAGA ter terminado em Fevereiro de 2016, devido ao sucesso do trabalho realizado, o MOVE continua a acompanhar os transformadores (cinco, neste momento) de modo a garantir uma implementação sólida de todo o trabalho desenvolvido nos últimos anos
  • Projeto das latrinas

    Projeto das latrinas

    A Associação Cão Grande e a Comunidade de Porto Alegre contactaram o MOVE com o objetivo de desenvolver um projeto de saneamento básico, na região de Porto Alegre, situada a sul da ilha de São Tomé, culminando na construção de 80 latrinas, beneficiando um espetro de 500 pessoas. A comunidade de Porto Alegre é uma das regiões mais carenciadas. A falta de condições de saneamento e hábitos de higiene básicos constitui uma das principais dificuldades da população, sendo causa direta dos graves problemas de saúde que assombram a comunidade (Esquistossomose, Malária, Teníase e Tricuríase, entre outras). De forma a combater esta questão de saúde pública, estamos a elaborar um plano de construção de infraestruturas sanitárias (construção de latrinas), bem como a desenvolver um programa de sensibilização comunitário.
  • Startup STP

    Start Up STP

    A StartUp STP é a primeira grande incubadora de empresas em São Tomé e Príncipe. A sua principal finalidade é apoiar o desenvolvimento e implementação de ideias com potencial de negócio e criar valor para o país, através da capacitação empresarial, orientação e acompanhamento de gestão das ideias de negócio dos empreendedores inscritos. Em parceria com a AESTP – Associação Empresarial de São Tomé e Príncipe, o MOVE criou este projeto onde nos compete fazer toda a operacionalização da incubadora, sendo o papel principal a formação e capacitação dos empreendedores para a implementação das suas ideias de negócio.
  • Clube de empreendedorismo

    Clube de Empreendedorismo

    O Clube de Empreendedorismo MOVE, no Liceu Nacional, surgiu da vontade de dinamizar o Liceu e aproveitar a curiosidade dos alunos em relação aos tópicos da gestão e do empreendedorismo. O clube decorre durante todo o ano lectivo, com uma aula por semana. A principal característica das aulas é o seu carácter dinâmico e a fomentação da participação/discussão. Alguns dos temas lecionados são liderança, negócio, marketing e publicidade, comunicação, trabalho em equipa, responsabilidade social das empresas, etc. Para além disso, são também feitas visitas de estudo a empreendedores bem-sucedidos bem como palestras com convidados especiais.
  • CST Empreendedorismo

    CST Empreendedorismo

    O CST Empreendedorismo é um concurso de empreendedorismo patrocinado pela CST – Companhia Santomense de Telecomunicações e operacionalizado pelo MOVE. O concurso é anual e a primeira edição decorreu em Agosto de 2015. O objectivo deste concurso é criar uma “escola de gestão”, durante algumas semanas, onde os voluntários do MOVE dão formação intensiva com vista ao desenvolvimento de ideias de negócio e soft skills, que culmina na apresentação de um projeto final e atribuição de prémios aos vencedores.
  • Ossobô

    Ossobô

    A loja Ossobô, pertencente à Santa Casa da Misericórdia de São Tomé, foi a primeira loja de artesanato a surgir em São Tomé, com o objetivo de, por um lado, proMOVEr o trabalho dos artesãos locais, por outro, sensibilizar os consumidores para a sustentabilidade ecológica. – Esta loja já existe no mercado Santomense há mais de 10 anos, no entanto com aparecimento de novos players no mercado, como foi o caso da Qua Tela e das lojas nos hotéis, o movimento da loja ressentiu-se, diminuindo radicalmente nos últimos anos. Devido à boa relação estabelecida entre o MOVE e a Santa Casa, a nossa ONG foi contactada para ajudar a loja Ossobô a recuperar a sua fama, apostando em campanhas de marketing e comunicação, como também em resolver o problema da gestão logística e operacional.
  • Associação Solidária de Cão Grande

    Associação Solidária de Cão Grande

    O contacto com a AMI surgiu há vários anos através da possibilidade do MOVE cooperar, acompanhando o projeto da Associação Cão Grande, cujo grande foco é a criação de gado. Por um lado, a AMI foi responsável pelo investimento fornecido à Associação, por outro, o MOVE pelo acompanhamento financeiro e estratégico do projeto
  • Qua Tela

    Qua Tela

    A ONG Qua Tela é uma associação criada com o objetivo de apoiar os transformadores locais. Um desses apoios surge com a abertura da loja Qua Tela que se apresenta como ponto de distribuição essencial para a sobrevivência da grande maioria dos transformadores sendo que representa uma percentagem bastante significativa das suas vendas. A colaboração entre o MOVE e a ONG Qua Tela teve início em 2013. Para além do MOVE ter participado em alguns projetos onde teve um papel central de formação em pequenos negócios aos transformadores, também começou a participar ativamente na gestão financeira, logística e comercial da loja.
  • Salutar

    Salutar

    Resultante de um projeto financiado pela União Europeia ao consórcio Marapa/Alisei (duas grandes ONGs em São Tomé e Príncipe), a reconstrução do complexo turístico Jalé Ecolodge engloba três bungalows, uma unidade de restauração e ainda uma pequena estrutura para a proteção de tartarugas. O MOVE foi contactado em 2014 para auxiliar o gestor, o Cabo-verdiano “Nei”, na concepção da exploração restaurante. Hoje em dia, após implementação do Plano de Negócios elaborado em conjunto, o MOVE tem o papel de conselheiro estratégico do “Nei”.
  • Firma Efraim

    Firma Efraim

    A Firma Efraim, fundada em 2002, constituiu a primeira iniciativa privada autónoma e com expressão de exploração de café. Gerida pelo Catoninho, a firma tem-se afirmado como um micro empreendimento com ambição e posicionamento próprio junto do mercado e comunidade. Depois de ter começado apenas pela produção de café 100% biológico, o negócio cresceu e já conta com a produção de cacau em pó assim como com um restaurante de comida típica Santomense. Desde 2013, o MOVE tem tido um papel fundamental na definição do rumo estratégico da empresa e na diversificação das áreas de negócio. Para além do MOVE, a Firma Efraim é apoiada financeiramente pela Taipé Medical University (TPU), desde do final do ano 2014. A TPU é também o principal cliente da Efraim, com encomendas que ascendem a 1,5 toneladas de café/ano (85% das vendas da empresa).

História do MOVE em Timor-Leste

Terrenos

A atividade do MOVE em Timor destaca-se devido à sua localização. Díli é uma capital, e apesar da pobreza evidente, está completamente urbanizada. A presença das Nações Unidas e a proximidade da Austrália também fazem com que grandes empresas e ONG’s com grande capacidade financeira tenham uma presença muito mais vincada no país. Estes fatores fazem com que a atividade do MOVE em Timor-Leste esteja muito dependente de parcerias com outras ONG’s e instituições que nos permitem, de certa forma, chegar às comunidades mais rurais (presentes nos Distritos fora de Díli).

Atualmente a intervenção do MOVE em Timor baseia-se em 2 eixos principais: formações e consultoria a negócios através de parcerias.

Projetos em Timor-Leste

  • Universidade Nacional de Timor-Lorosae (UNTL)

    Universidade Nacional de Timor-Lorosae (UNTL)

    A parceria com a UNTL foi um dos primeiros projetos que o MOVE abraçou em Timor-Leste, tendo sido estabelecida pela primeira edição e efetivada pela segunda. Desde então, a parceria tem-se mantido bastante estável, com todas as edições a lecionarem o módulo de Gestão e Empreendedorismo na universidade. Neste momento são leccionados 2 módulos creditados (Inicial e Avançado) que pertencem ao programa curricular das cadeiras do curso de Economia da universidade. Acreditamos que desta forma estamos a ajudar a formar mais e melhores empreendedores junto daqueles que consideramos ser o futuro de Timor. É com muito prazer que acompanhamos a evolução dos nossos alunos entre as várias edições e vemos que, de facto, muitos conseguem ser bem-sucedidos e abrem os seus próprios negócios, tornando-se hoje os empreendedores de amanhã.
  • Centro Nacional de Emprego e Formação Profissional (CNEFP)

    Centro Nacional de Emprego e Formação Profissional (CNEFP)

    O Centro Nacional de Emprego e Formação Profissional (CNEFP) é um centro de formação profissional, localizado em Tíbar, distrito de Liquiçá, a 25 minutos de Díli. O contacto com o CNEFP foi estabelecido pela 2ª edição, em 2012, sendo assim uma das parcerias mais antigas e duradouras do MOVE em Timor-Leste. Desde o início que o MOVE garantiu o ensino do Módulo de Registos Financeiros. Neste momento, para além deste módulo o MOVE dá formação no centro nas áreas de Segurança e Eficiência, Matemática e Boas Práticas no Trabalho, para além de prestar alguns serviços de consultoria para a gestão e dinamização do centro.
  • Empreza Diak

    Empreza Diak

    A Empreza Diak é um ONG timorense cujos objetivos vão de encontro com os do MOVE, no sentido de quebrar barreiras de mercado através da criação de negócios sustentáveis e replicáveis que gerem rendimentos às comunidades timorenses, criando um impacto social positivo e combatendo a pobreza. O MOVE coopera com a Empreza Diak, prestando serviços de consultoria e advising, desde 2014 e acreditamos que impacto de ambas as organizações tem sido extremamente positivo nas comunidades timorenses.
  • Clube de Empreendedorismo

    Clube de Empreendedorismo

    Recentemente, o MOVE tem desenvolvido um Clube de Empreendedorismo para jovens universitários, com o objetivo de promover uma visão mais prática e real deste processo dinâmico de implementar novos negócios ou ideias. Tentamos ao máximo trazer realidades próximas, preparando-os para o mundo do trabalho, com actividades e testemunhos de empreendedores locais bem-sucedidos. Para este projecto contamos com o apoio da UNTL e da Cooperação Portuguesa, e apesar de recente, o nosso objectivo é tornar o Clube de Empreendedorismo como uma referência em Timor para a preparação e lançamento de jovens empreendedores e negócios de sucesso num futuro próximo.
  • Figus Sol Nascente

    Figus Sol Nascente

    Concorrer com a sua ideia de negócio ao Concurso do IADE (Instituto de Apoio ao Desenvolvimento Empresarial) foi a primeiro momento de vitória para o Sr. Hugo. Com a ideia de produzir figos e criar produtos de valor acrescentado, como chás, vinho, figo seco e temperos, o Sr. Hugo criou a marca “Figus Sol Nascente”. O seu esforço e empenho leva-nos a querer fazer desta marca uma referência em Timor-Leste e é com muito orgulho que o ajudamos a orientar a sua estratégia de negócio, promover os seus produtos e procurar novas oportunidades. Hoje, conta com vários prémios pelo trabalho desenvolvido, não só a nível empresarial, mas também social, pelas oportunidades que cria para os jovens de Timor-Leste, oferecendo estágios e oportunidades de formação. A função do MOVE com este projeto centra-se essencialmente por apoiar na gestão do negócio, apoiar no desenvolvimento de propostas a entidades públicas e por desenvolver a sua estratégia marketing e promoção dos seus produtos.
  • Bonecas de Ataúro

    Bonecas de Ataúro

    A Cooperativa Polivalente Boneca de Ataúro, que existe desde 2006, é formada por 62 mulheres que desenvolvem duas vertentes de negócio. Por um lado, uma loja e oficina de design e costura de jogos didáticos, bonecas de trapo e carteiras. Por outro lado, a dinamização de uma guest-house e do restaurante Manukoko-Rek. Estas mães, tias, avós e irmãs, com rendimentos magros, sustentam direta e aproximadamente 200 crianças. O MOVE está a ajudar esta Cooperativa a crescer de forma sustentável, através da criação e análise de uma estrutura de custos de produção e de formação na área financeira. A colaboração entre o MOVE e a cooperativa arrancou em 2016 e esperamos que este seja o início de uma parceria que traga valor acrescentado à Cooperativa e às suas Mulheres, num país que luta todos os dias pelos direitos das mulheres e para o Women Empowerment.
  • naTerra

    naTerra

    O naTerra é uma associação de Educação para o Desenvolvimento Sustentável e surge com um grupo de pessoas com a vontade de criar soluções ecológicas, com uma visão economicamente praticável e socialmente responsável. Esta associação pretende criar espaços que potenciem a natureza e consideram fulcral sensibilizar a comunidade local com esta visão saudável e sustentável. O “naTerra” tem uma quinta de permacultura localizada no distrito de Baucau, em total sintonia com a natureza e com as comunidades locais, onde o desperdício de produção é praticamente nulo através de um processo desenhado e focado no aproveitamento de recursos. Para além da produção agrícola, o “naTerra” realiza também acções de formação na área da agricultura e no desenvolvimento sustentável. O MOVE e o naTerra iniciaram a sua parceria no decorrer da 11ª edição (2016), no qual o papel da nossa organização se tem focado na logística, monitorização e posterior promoção (isto é, preço, marketing, etc) de diversos dos seus produtos (sementes, árvores, compotas, chás, licores, pó de moringa, entre outros).