Tens dúvidas?

  • O MOVE é uma associação sem fins lucrativos que acredita no empreendedorismo como forma de combater a pobreza. Esta social venture foi criada com o intuito de ultrapassar inúmeras barreiras ao crescimento que caracterizam países como São Tomé e Príncipe e Timor Leste. Descobre mais em O que é o MOVE.

  • O field manager, posição assumida em Portugal por um voluntário que já esteve no terreno numa edição anterior, apoia continuamente o percurso pessoal e profissional do fellow no terreno. Qualquer situação ocorrida durante o período no terreno, deverá ser reportada primeiramente ao field manager.

  • O MOVE suporta os custos de renda de casa, electricidade, água, internet, custos de transportes associados ao trabalho, e outros consumíveis (impressões e papel, por exemplo). Os voluntários pagam os bilhetes de avião e a sua alimentação, para além de outros gastos pessoais (roupa, deslocações pessoais, etc…).

  • Cada fellow tem a seu encargo:

    • Passaporte e visto

    • Seguro de saúde (que contemple o repatriamento)

    • Vacinas e medicação

    • Custo do voo – Cada voluntário é responsável pela aquisição do mesmo sendo que o preço varia bastante, dependendo do destino e da época de compra.

    • Gasto médio mensal – Entre 250€/350€ por mês (Despesas variam também dependendo do estilo de vida pessoal).

  • Não, tendo em conta os custos totais de cada terreno, ambos os terrenos têm custos bastante semelhantes. 

  • Não. Consideramos crucial a existência de estabilidade no terreno. É importante que os empreendedores que ajudamos se sintam acompanhados pelas mesmas pessoas durante um espaço de tempo considerável. É mais fácil evitar situações de incumprimento assim. Mais: cada vez que a equipa roda, há custos consideráveis de passagem de testemunho, que desta forma são minimizados.

  • Não, no entanto consideramos a tua preferência. As candidaturas são feitas ao projecto, no geral, e somos nós (no final do processo de recrutamento) que fazemos a alocação dos fellows, de forma a que as equipas fiquem o mais equilibradas possível (com os perfis certos). No entanto, na tua carta de motivação e, mais tarde, na entrevista, podes indicar a tua localização de preferência e justificar a mesma.

  • Sendo o MOVE um programa de voluntariado, os fellows não são remunerados durante os seis meses em que estão nas localizações.

  • Ao construirmos as nossas equipas, procuramos escolher a pessoa certa para o sítio certo. Uma desistência em cima da hora traz-nos custos muito elevados: o de recrutar e formar um substituto. Assim, após a divulgação das equipas damos uma semana para as pessoas seleccionadas refletirem e decidirem se realmente estão dispostas a aceitar o desafio.

  • Claro que sim! Independentemente da área educativa que frequentem ou tenham frequentado, queremos, acima de tudo, pessoas talentosas e com vontade de criar impacto. É verdade que acabamos por recrutar maioritariamente pessoas dessas áreas, mas também queremos engenheiros, juristas, advogados, médicos, arquitetos, matemáticos, licenciados em comunicação, etc.

  • Para poderes embarcar nesta aventura fantástica, existem duas chamadas: em Setembro/Outubro e em Março/Abril. Nessa altura estará disponível um formulário de candidatura. Seguidamente, terás que passar por mais 4 fases, compostas fundamentalmente pela realização de um teste analítico, uma entrevista pessoal, uma dinâmica de grupo com vários candidatos e uma mega dinâmica de grupo. Descobre mais em Candidata-te.

  • O MOVE alia a formação pessoal de jovens universitários em Portugal às necessidades encontradas nos dois terrenos em que atua. Durante a seleção serás avaliado a nivel pessoal e a nível profissional por forma a aferir se dispões da formação necessária e do espírito e vontade cruciais ao desenvolvimento deste projeto.

    O MOVE organiza um fim de semana intensivo de formação – momento obrigatório do recrutamento – onde o fellow receberá uma formação orientada ao trabalho no terreno para que este se possa preparar e facilmente adaptar ao terreno.

  • Não, o MOVE não se responsabiliza por quaisquer roubos ou danos que existam no terreno, mais uma vez relembramos para a importância da realização de um seguro.

  • O voluntário assinará um contrato de permanência no terreno, não comprometendo o MOVE, desresponsabilizando assim a organização de qualquer encargo. Neste contrato o voluntário compromete-se a obter um seguro de saúde (que contemple o repatriamento).

Se permanecer alguma dúvida, envia-nos um email, ou contacta-nos por Facebook Messenger!